PUBLICIDADE HORIZONTAL

Alunos do projeto “Longe das Ruas, Perto dos Sonhos” se formam

on 27 August 2019

Os alunos do projeto “Longe das ruas, Perto dos Sonhos” se formaram no último dia 26, em cerimônia realizada no auditório do Fórum Trabalhista de Goiânia. Os formandos dos cursos para pedreiro e pintor participaram da iniciativa do Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT-GO).

O projeto compõe uma série de projetos de empregabilidade e ofereceu a mais de 40 pessoas em situação de rua a possibilidade de participar de cursos de profissionalização em assistente de cozinha, finalizado no mês de julho, para pedreiro ou pintor.

Além dos cursos, realizados no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) Vila Canaã, o projeto promoveu rodas de conversa, aulas de fotografia e workshops de temas diversos que visaram ao desenvolvimento profissional e pessoal. Durante a formatura, os alunos fizeram um recital de poesia, resultado da oficina que participaram na primeira semana de atividades, no início de junho.

O projeto é realizado em parceria com a Casa Poema, Defensoria Pública do Estado de Goiás (DPE-GO), Instituto Euvaldo Lodi (IEL), Organização Internacional do Trabalho (OIT), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Senai e Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT-GO).

Em seu discurso na abertura do evento, o procurador-chefe do MPT-GO, Tiago Ranieri explicou que os projetos de empregabilidade têm como objetivo a promoção da cidadania com foco no combate à desigualdade social, em busca de uma sociedade mais justa e solidária. “São iniciativas com caráter político também porque elas propiciam que pessoas que são excluídas da sociedade ocupem um espaço que lhes é negado”, concluiu. 

Além disso, promover formação profissional é uma quebra de paradigmas, segundo o presidente do TRT-GO, Paulo Sérgio Pimenta. O desembargador lembrou que órgãos como o MPT e o TRT costumam atuar apenas quando as pessoas já estão empregadas ou então quando perdem seus empregos, então acredita que promover capacitação é uma novidade positiva. Segundo Pimenta, “É um privilégio enorme poder participar de um projeto tão importante e é imprescindível o estímulo, em todas as esferas, do trabalho digno e decente”.

A defensora pública e coordenadora do Núcleo de Direitos Humanos da DPE-GO, Fernanda da Silva Rodrigues, ressaltou o caráter humano do “Longe das ruas, Perto dos Sonhos”. Para Rodrigues, o projeto, que visa também restaurar a dignidade das pessoas, contribuiu para quebrar o que chamou de “ciclo de violência” e “construir um mundo melhor”.

Além do “Longe das ruas, Perto dos Sonhos”, o MPT-GO e entidades parceiras já executaram dois projetos de empregabilidade para a população transexual e travesti (“Cozinha e Voz” e “Costurando Poemas”), um voltado a mulheres detentas, “Cozinha e Voz - Libertando sonhos”, e uma turma de design de moda composta por pessoas trans e mulheres em medida protetiva da Lei Maria da Penha.

Atualmente, está em curso uma nova edição composta por pessoas em situação de rua, mulheres em medida protetiva pela Lei Maria da Penha e pessoas em fase final no tratamento contra dependência química. Os alunos desse projeto farão curso de pedreiro e pintor assim que terminada a fase de rodas de conversa e workshops.

Assessoria com informações do Ministério Público Trabalho em Goiás (MPT-GO)

Subir